Resíduos Sólidos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTUDOS E PROJETOS DE RESÍDUOS SÓLIDOS

Desenvolvimento de estudos e projetos de aterros sanitários, estações de transferência, estações de compostagem, unidades de digestão anaeróbia e desenvolvimento e optimização de sistemas de gestão de resíduos.


PLANOS ESTRATÉGICOS, PLANOS DE GESTÃO DE RESÍDUOS (INDUSTRIAIS, RCD’S, URBANOS…)


ESTUDOS DE CARATERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONTAMINAÇÃO DOS SOLOS E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS


ANÁLISE DE RISCO E PLANO DE DESCONTAMINAÇÃO DOS SOLOS E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS


ESTUDOS TÉCNICOS E ECONÓMICOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO DE TAXAS INDIVIDUAIS DE RESÍDUOS (PAYT – PAY-AS-YOU-THROW)

As atuais taxas de resíduos não estão adequadas aos custos decorrentes da gestão dos RSU e não fomentam a adesão da população à separação de recicláveis e consequente deposição destes em ecopontos. O PERSU II refere no Eixo III – Quantificação e Optimização da Gestão de Resíduos através da Medida 2 que a sustentabilidade dos Sistemas de Gestão de RSU (…) exige a implementação de sistemas de tarifários que traduzam os custos efetivos da gestão de resíduos em cada Sistema (…).

Assim, sistemas “pay-as-you-throw” (PAYT) ou sistemas de tarifa variável são sistemas de gestão de resíduos sólidos urbanos em que “quem produz mais, deposita mais, paga mais”. Funcionam com base em penalizações/incentivos económicos que fomentam a população a reduzir a produção de resíduos indiferenciados e/ou a incrementar adesão à separação da fração reciclável, tendo em conta que a deposição seletiva não incrementa a tarifa.